segunda-feira, 22 de setembro de 2014


poemA agráriO

.a seca
do sertão do teu peito
precisa da chuva
dos teus olhos de inverno
pra que a semente 
de sonhar novamente
enraíze em teu solo
e floresça o que é belO